Palavras do Pr. Anísio do Nascimento

A obra missionária é reconhecidamente aceita por todos os salvos como a suprema tarefa da igreja de Jesus Cristo aqui na terra. Esta, de forma ampl, tem compreendido os princípios bíblicos que gera motivação a obra missionária. Todos aqueles que tiveram o privilégio de ter encontro pessoal com Deus, creram, porque alguém lhe trouxe o evangelho da salvação e o Espírito Santo o convenceu do pecado da justiça e do juízo, o processo de ouvir aconteceu porque alguém se dispôs a pregar as boas novas de salvação; o mensageiro de boas novas que trouxe a Palavra também só o fez porque alguém o enviou.

A missão da Igreja deve ser a missão de Jesus, a tarefa foi delegada ao Corpo Místico de Cristo para este objetivo, Deus através do Espírito Santo a Igreja de poderes sobrenaturais tornado-a poderosa, eficiente e vitoriosa através dos séculos, entretanto, o Adversário tem tentado imobilizá-la tornando-a acomodada e indiferente ao clamor do mundo.  O movimento salvífico, que parte do coração e vontade do Pai Celestial, está revelada nas Escrituras Sagradas, onde Ele deseja que todos se salvem através do conhecimento de Jesus Cristo, Seu filho amado, sendo extensivo a todos os povos e etnias da terra. Isto não é só um fato histórico, é bíblico e irreversível por que é divino (Mt 16:18).

Quando em Seu encontro com os discípulos pós Sua ressurreição, Jesus Cristo deu-lhes instruções foram sobre a Grande Comissão. Observe que o foco do Salvador Jesus era, de fato,  a Grande Comissão os Evangelhos registram:

1 - Em Mateus 28:18-20 Jesus explicita como será Sua participação com seus discípulos presentes e futuros. Toda autoridade - poder (soberania do Rei dos reis); Fazei discípulos (O propósito do Rei do reis); Ir, batizar e ensinar (O preceito do Rei dos reis); estou convosco (A presença do Rei dos reis).

2 – Em Marcos Mc 16: 14-20, determina veementemente sobre a missão da sua querida igreja É como se Ele dissesse: “Vos capacito para ir Ia todas as etnias, línguas e povos, aos necessitados; asseguro a minha presença convosco”.

Em Lucas 24:13-35 fica claro o valor que o missionário tem.  O evangelista lança luz sobre dois discípulos que regressavam para sua aldeia, que praticamente tinham desistido da Seara, porém o Mestre amorosamente foi em busca deles, os exortou, levantou sua auto-estima e os animou a serem anunciadores de Boas Novas mostrou-lhes o valor do investimento em suas vidas.

Jesus disse aos seus discípulos assim: “Assim como o Pai me enviou, também também envio a vós” (Jo 20: 19-23); Ele nos envio para curar Beduínos da Argélia e do Egito, onde meu nome ainda não é conhecido; envia-nos a libertar do budismo os povos esquecidos das terras frias do Tibet e Cordilheira do Himalaia; aos Badjaos das Filipinas os chamados ciganos do mar, preso pelo animismo e oprimido pelo Adversário e que vivem em situação subumana; Eu vos envio aos malaios das ilhas Filipinas, aos Tuaregues do norte da África, aos Mouros da Mauritânia aos fulanis,  maior tribo nômade do mundo habitantes da África Ocidental,  aos zulus da África do sul.

Considero Atos dos Apóstolos o livro modelo de envio de missionários e implantação de igrejas. Nele é registrado o texto áureo da obra da Grande Comissão, e o evangelista registra assim a afirmativa de Jesus Cristo: ”Mas recebereis a virtude do Espírito Santo, que há de vir sobre vós; e ser-me-eis testemunhas tanto em Jerusalém como em toda Judéia e Samaria e até aos confins da terra”. (At 1:8).

Os envolvidos com Missões sabem que os países mais difíceis de proclamar o evangelho são: Coréia do Norte, Arábia Saudita, Irã e as regiões do Sudeste da Ásia, Norte da África, Oriente Médio e Ásia Central.

O valor do missionário não é calculado em termos de investimento financeiro e sim no valor que cada alma representa no Reino de Deus, o apóstolo Pedro afirma o seguinte: “Sabendo que não foi com coisas corruptíveis, como prata ou ouro que fostes resgatados da vossa vã maneira de viver que, por tradição, recebestes dos vossos pais, mas com o precioso sangue de Cristo, como de um cordeiro imaculado e incontaminado” (1 Pe 1: 18,19). Como vemos o valor é imensurável.

Ao ser chamado para levar a Palavra de Deus a outros povos, o missionário se lança ao campo não questionando a respeito de sua vida profissional e financeira, deixando para trás familiares, amigos, irmãos e em alguns casos sua pátria.

Ao partir o missionário deposita inteiramente confiança no Senhor que o chamou em relação a sua saúde física e espiritual, provisão e prosperidade ministerial. Lá ele precisará de todo apoio da igreja e cuidado pastoral, pois enfrentará lutas diárias e guerra espiritual, tendo a certeza que o Senhor dos Exércitos o conduzirá em triunfo por Cristo Jesus (1 Pe 5: 7); (2 Co 2:14)

Vinte anos atrás não se ouvia falar de igrejas nos antigos países da ex-União Soviética, hoje o cenário é bem diferente.  Na Europa Oriental, por exemplo, uma igreja localizada num determinado país, passou de recebedora para enviadora de missionários. Este é um dos países mais pobres desta região. Seu pastor nos relatou o que Deus está fazendo. Seus 45 missionários estão nos países mais fechados ao Evangelho: Afeganistão, Cazaquistão, Kosovo, Sudão, China, Norte da África, Etiópia, Namibia, Macedônia, Bulgária, Albânia, Turquia e Moçambique. Mas para que isto acontecesse um missionário foi enviado ao país e dedicou-se inteiramente ao ministério nos campos brancos daquela nação.

Em Bangladsh país com 85% de muçulmanos e o restante da população hindu, a igreja desta nação constrói três igrejas a cada semana. Realiza um Congresso de Missões a cada seis meses, mesmo estando num contexto muçulmano e hindu. Isto só se tornou possível por que alguém foi enviado, comprovando o valor de um missionário!

Há países em que pastores e missionários correm risco de morte, a todo instante e alguns já estão na lista dos radicais para serem mortos na primeira oportunidade, eles não valorizam sua segurança física (At 20:24). Sabem do valor que representam para o Reino de Deus sua presença no país ou etnia, cujo alvo é tirar o povo das trevas para luz, proclamar liberdade espiritual, desenvolver maior integração na comunidade e na família. Esse fato por si confirma o valor de um missionário.

A Assembleia de Deus na Nigéria é a maior enviadora de missionários do continente africano. Qual a estratégia? No primeiro domingo de cada mês todas as igrejas ministram sobre Missões, todas as ofertas deste dia são destinadas exclusivamente a Missões. Eles descobriram o valor de um missionário!

World Assemblies of God Fellowship (WAGF), traduzido como: Confraternidade Mundial das Assembleias de Deus, conta com 65 milhões de membros, considerando os 83 países que integram esta fraternidade. A meta é implantar 150 mil novas igrejas até o ano de 2020, e alcançar 100 milhões de membros. Só com ajuda irrestrita do Espírito Santo, obediência total da igreja do Senhor (Rm 10: 14, 15) e reconhecimento do valor de um missionário é possível atingir o alvo. (Lc 10:2).

A igreja do Senhor tem a tríplice missão de ir: com os pés dos que vão; com as mãos dos que contribuem e com os joelhos dos que intercedem.  Até aos Confins da Terra!

 
PASTOR ANÍSIO DO NASCIMENTO
Secretário Executivo
Dia Nacional de Missões